Uma questão bucólica…

Barragem na comunidade de Xique-Xique, Remanso-BA.

Barragem na comunidade de Xique-Xique, Remanso-BA.

Morar no interior tem lá suas vantagens e desvantagens. Mas as vantagens são muitas e, na maioria das vezes, nos levam sempre a uma vida tranquila (nova ortografia) e mais sadia, sem os atropelos das grandes cidades. Tudo aqui acontece numa velocidade própria da gente do campo. Às vezes as coisas acontecem e a gente fica sabendo de forma mais rápida. Os espaços são bem mais curtos, há menos deslocamentos para ir ao trabalho e para voltar para casa. Isso faz com que a gente tenha mais tempo para ouvir o rádio sossegado, jogar conversa fora numa esquina ou num bar. Também fica muito mais fácil a convivência com as coisas da natureza e nos dá muito mais chance de conhecer a forma como os que dela sobrevivem fazem para produzir de tudo um pouco.

Aqui as pessoas conseguem resgatar um pouco de tudo aquilo que foi corroído pelo progresso. Falta-nos o cinema, o shoping, os shows de grandes artistas e outras coisas mais. Mas sempre se dá um jeito de superar isso tudo. Aqui vem a nossa grande vantagem: quem mora nos grandes centros tem mais dificuldade de uma aproximação com a natureza e para nós ela está logo ali… a dois passos do portão. É ou não é uma grande vantagem?

Na semana passada fiz uma pequena viagem ao interior de Remanso, mais precisamente na comunidade de Xique-Xique, e esta viagem fez com que aflorasse em mim um certo sentimento bucólico. Fez retornar as lembranças dos tempos de criança, quando partíamos para a fazenda do meu avô, o Veredão, interior do município de Casa Nova, e ficávamos por lá todo o período das férias, principalmente das férias de fim de ano. Vi muita coisa que me fez lembrar aqueles tempos. E como foi bom.

O objetivo da viagem era fazer algumas fotografias de cisternas e poços para ilustrar o convite do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Remanso para a comemoração do Dia Nacional do Trabalhador e da Trabalhadora Rural deste ano de 2009. O objetivo foi cumprido, como vocês podem ver nas fotos. Mas não ficou só nisso, não. A recepção do nosso povo é sempre muito calorosa e nos dão um tratamento que não merecemos tanto. E mais importante: tudo o que comemos no delicioso café da manhã foi produzido no quintal dos nossos amigos. Não faltou o famoso beiju com carne assada no fogão a lenha. O mamão que João Neto está comendo foi tirado na hora e veio do quintal da Domingas. É um desses quintais que tem em toda casa do interior do Sertão. Só que agora com a grande novidade: A CISTERNA DE PRODUÇÃO. Veja na fotografia. Agora é alimento o ano todo. De quebra ainda levamos pra casa milho verde, mamão e tempero verde tirado do quintal dos nossos amigos. Me diz se não tenho razão!

João Neto "traçando" o mamão da hora.

João Neto "traçando" o mamão da hora.

Cisterna de Produção conjugada com canteiro.

Cisterna de Produção conjugada com canteiro.

Domingas colhendo o mamão que traçariamos logo depois.

Domingas colhendo o mamão que traçariamos logo depois.

A foto abaixo ilustra bem como o homem do campo está passando a viver depois do programa Luz Para Todos e do Programa Um Milhão de Cisternas. Está sendo quebrada a velha corrente que mantinha o sertanejo preso às amarras do coronelismo que sempre esteve presente na vida dos pequenos produtores rurais, especialmente aqui nesta região do Nordeste Brasileiro. É luz e água o ano inteiro. Estes dois programas estão causando uma verdadeira revolução neste cantinho esquecido do Brasil.

Luz Para Todos e Cisterna para armazenamento de água para consumo humano.

Luz Para Todos e Cisterna para armazenamento de água para consumo humano.

Aqui temos a foto de uma bomba d’água que é muito fácil e prática de ser manejada. Ela é movimentada até por uma criança. Não necessita de energia elétrica nem de motores movidos a combustíveis tradicionalmente utilizados no meio rural.

Bomba manual para puxar água de poço artesiano.

Bomba manual para puxar água de poço artesiano.

Mas o que me deixou mais encantado foi o forno a lenha que vemos nesta outra foto. Demonstra a inventividade do nosso sertanejo. É um forno muito interessante e bastante prático. Quando tirava a foto do fogão a lenha o João Neto disse: “Tovinho, você vai gostar é do que você vai ver ali fora”. Pois é, gostei! E aqui está a foto.

Forno a Lenha, casa de Domingas - Comunidade Xique-Xique

Forno a Lenha, casa de Domingas - Comunidade Xique-Xique

Nas fotos a seguir temos o fogão a lenha meio modernoso que falei acima e os velhos e bons potes de barro que esfriam a água de beber do sertanejo. É uma viagem no tempo, não é mesmo?

Fogão a Lenha modernoso (vixe-maria).

Fogão a Lenha modernoso (vixe-maria).

Esposo de Domingas, comun. Xique-Xique - Potes de barro.

Esposo de Domingas, comun. Xique-Xique - Potes de barro.

Visite o meu Flickr (sitio de gerenciamento de fotos) e veja muito mais fotos de Remanso: http://www.flickr.com/tovinhoregis

Até o próximo post.

Anúncios

Um comentário em “Uma questão bucólica…

  1. Tovinho,é uma satisfaçao muito grande fazer um comentario: é muito legal ver as fotos da minha querida Remanso,fazem 14 anos que sair dai mais sinto muitas saudades fico vendo as fotos e lembre de todas pessos da minha epoca poucos lembro o nome mais conheço fico feliz pelo sucesso de nossa cidade natal. quero ver nas proximas fotos o pessoal da quadra 5(rua da casa de saude)onde mora minhas irmas e amigos.felicidades e fico ansiosa pra ver outras votos.VALEU TOVINHO!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s