Uma breve visita ao Museu do Sertão Antônio Coelho Maia

Museu do Sertão Antônio Coelho Maia

Museu do Sertão Antônio Coelho Maia

Alunos da professora Ana Cláudia, Colégio Estadual Coronel Olímpio Campinho, visitaram recentemente o Museu do Sertão Antônio Coelho Maia, situado na Rua Coronel Francisco Leobas, 586 – Quadra 11, Remanso, Bahia. O Museu é fruto da luta incansável da Senhora Marisa Muniz e tem como objetivo principal resgatar um pouco da cultura do povo remansense.

D. Marisa apresenta o Museu aos alunos.

D. Marisa apresenta o Museu aos alunos.

Os alunos conheceram vários objetos de épocas diferentes: antigas câmeras fotográficas, as famosas radiolas de pilha (com braço e tudo), objetos utilizados na fabricação artesanal de sapatos, máquinas de costurar, chaleiras, monóculos e outros objetos raros.

Rádio e Radiola "de pilha".

Rádio e Radiola "de pilha".

Quarto de solteiro.

Quarto de solteiro.

São quatro salas de exposição de objetos distribuidos por temas. Vão de objetos isolados até alas caracterizadas com balcões representando lojas conhecidas da velha Remanso, como a Loja do “Bertim Zuim”, como gosta de frisar D. Marisa.

Caracterização do balcão do Armazem do "Bertim Zuim".

Caracterização do balcão do Armazem do "Bertim Zuim".

Nos fundos do Museu pode-se ver uma casa de taipa em tamanho reduzido onde podemos ver alguns objetos utilizados na época da Velha Remanso. Observem na foto abaixo os rostos das alunas (incrédulas) quando D. Marisa explicou como se fazia para manter o ferro a brasa sempre quente: soprando, soprando e soprando…

Ana Cláudia, suas alunas e a casa de taipa.

Ana Cláudia, suas alunas e a casa de taipa.

D. Marisa soprando o ferro a brasa (demonstração).

D. Marisa soprando o ferro a brasa (demonstração).

D. Marisa demonstrando o uso da caneta tinteiro (bico de pena).

D. Marisa demonstrando o uso da caneta tinteiro (bico de pena).

Você lembra dos monóculos? Eu sei que hoje em dia não se vê mais por aí, mas lá no museu tem. Assim como as fotos digitais de hoje em dia, os monóculos eram a febre da época. Foram através dos monóculos que surgiram em Remanso as primeiras fotografias coloridas. Veja a foto abaixo:

Monóculo: uma forma diferente de ver a fotografia.

Monóculo: uma forma diferente de ver a fotografia.

As fotos que vemos abaixo são de câmeras que tiveram o seu auge nos nos 70. Observe como era o flash daquele tempo: tinha a lâmpada propriamente dita e o trambolho que está ao lado da lâmpada era a bateria. Imagine um fotógrafo sozinho para carregar a câmera e todo o aparato para o flash… Será que conseguia? Com certeza tinha um ajudante.

Duas câmeras que fizeram sucesso nas suas épocas.

Duas câmeras que fizeram sucesso nas suas épocas.

Uma câmera moderna com seu "potente" flash.

Outra câmera em exposição. Esta eu não sei nem a marca.

Outra câmera em exposição. Esta eu não sei nem a marca.

Esta visita é uma verdadeira viagem no tempo. Tem uma sala que é especial para mim, porque leva o nome da minha avó Alcina Régis. É exatamente a sala que mantém os objetos que eram símbolos da tecnologia da época.

Sala Alcina Régis.

Sala Alcina Régis.

É isso aí. Remanso também tem o seu museu. Se você quiser ajudar e participar da Fundação Museu do Sertão Antônio Coelho Maia é só ligar para (74) 3535-1230 ou escrever para o endereço do museu: Rua Cel. Francisco Leobas, 586 – Quadra 11 – CEP 47200-000 – Remanso-BA. Aceita-se qualquer tipo de ajuda, principalmente a ajuda financeira. Se você tem algum objeto que possa doar também será muito bem aceito. O nosso museu precisa muito da ajuda de todos, porque até o momento sobrevive apenas da boa vontade de alguns remansenses que se doam de corpo e alma (e alguma ajudinha financeira, rsrs).

Visite o Museu do Sertão Antônio Coelho Maia. E viva a nossa cultura.

Anúncios

7 comentários em “Uma breve visita ao Museu do Sertão Antônio Coelho Maia

  1. Fiquei surpresa pela iniciativa brilhante da professora marisa, parabenizo a ela e a todos que fizeram parte da construção do museu , é um verdadeiro resgate de valores culturais, como também a você Tovinho por nos manter sempre informados de todos os acontecimentos culturais da nossa Remanso.

  2. Estou surpresa. ‘-‘.
    Leobas é meu sobrenome. Minha vó me contava algumas historia sobre remanso, mais nunca me disse que tinha uma rua, com nosso sobrenome. Estou Surpresaaaa !

  3. Marisa, meu nome é Mércia Moreira, sobrinha da Srª Maura Moreira sua conterrânea. Visitei o Museu Ant^nio Coelho Maia através da net, instrumento que nos proporciona a aproximação das informações que desejamos. Senti que o seu trabalho assemelha em muito com o desenvolvido por Maura aqui em Januária. Quando conheço pessoas que se interessam e cilocam em prática o valor que a cultura tem, só posso aplaudi-las. Gostaria que me enviasse se possível assunttos relacionados a Nova Remanso e a Remanso antiga; Nutro uma curiosidade muito grande sobre o assunto. OBS: Terra que abrigou todos os meus familiares. Um abraço , aguardo retorno.
    mercia.moreira@oi.com.br
    merciamoreira@comnt.com.br
    merciamoreiratur@yahoo.com.br

    • Caro José Francisco Leobas, o Museu do Sertão Antônio Coelho Maia, além de ser uma obra do esforço pessoal de D. Marisa Muniz também é, em grande parte, feito pelo esforço colaborativo de muitos remansenses. Aproveita e passa o que houver de importante relacionado à nossa história (que é o caso da história do Coronel Francisco Leobas) que será muito bem vindo. Não faço parte da diretoria do museu, mas sempre ajudo no que posso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s