Propina ou doação, tanto faz…

Roberto Malvezzi (Gogó)

00_Coluna_do_Gogo

O PT tem bloqueio para fazer autocrítica e admitir seus próprios erros. O problema fundamental não é se o dinheiro das campanhas foi doação ou propina, mas o fato de mergulhar em fábulas de dinheiro privado para ganhar eleições. Antes que legal, é um problema ético e político.

Para a eleição de 2014 o PT recebeu 147 milhões, PSDB 82 milhões, PMDB 76 milhões, PSB 32 milhões, PP 17 milhões, PR 11 milhões, DEM 7 milhões, PC do B 6 milhões, assim todos os partidos, até chegar aos menores (“Quanto cada partido recebeu das empreiteiras da Lava Jato”, congressoemfoco.uol.com.br).

É uma lástima ver pessoas como Moro, gente do Ministério Público, Polícia Federal, gastar meses e meses para tentar discernir se o dinheiro das campanhas foi doação ou propina. São vítimas do legalismo que sempre moveu esse país. Desculpem a sinceridade, mas falta a esses homens a compreensão da formação social e histórica do país, de como a corrupção sempre se constituiu na privatização do Estado brasileiro. Doação ou propina, tanto faz. Quem recebe, uma vez eleito, terá que pagar com obras ou outras benesses. Portanto, falta-lhes um pouco de Raimundo Faoro.

As empreiteiras impõem a agenda de obras no Brasil. Algumas claramente inúteis – Mané Garrincha, estádio de Manaus, etc. –, outras duvidosas – Transposição, Belo Monte, etc. – e que muitas vezes ocupam o lugar e a verba de obras necessárias, como é o caso do saneamento básico, das adutoras, do transporte público urbano, da energia eólica e solar, ou investimentos em educação e saúde.

O que está estampado na mídia tradicional todos os dias – é uma tortura abrir esses jornais e revistas e essa ser a matéria constante há meses – alimenta esse moralismo típico dos fariseus modernos, que coam mosquitos e engolem camelos.

A reforma política proposta pela sociedade civil poderia pôr algum limite nesse poço sem fundo, mas Cunha assassinou a reforma política.

O que resta aos brasileiros de bom senso nesse momento – para além de todos os partidos – é salvar o fiapo de democracia que temos e não perder as conquistas sociais.

Mudanças estruturais profundas, mais uma vez, foram para as calendas gregas.

Cada preso é um cliente.

– O que se esconde por detrás da decisão da Câmara –

Roberto Malvezzi (Gogó)

00_Coluna_do_Gogo

O mercado criado em torno de presos e presídios movimenta muito mais grana que a imaginação popular possa ver. Só o mercado de quentinhas servidas aos 715 mil presos no Brasil (4º maior população carcerária do mundo) movimenta cerca de dois bilhões de reais ao ano.

Quando você vai conferir quais empresas fornecem essas quentinhas, muitas delas são de políticos ou de parentes deles, como é o caso dos Perrela em Minas Gerais. Além do mais, essas empresas também são financiadoras de campanhas eleitorais (Os mercadores das cadeias, Carta Capital).

Além do mais, 30 grandes presídios brasileiros estão privatizados. Nesse sentido, cada preso é um cliente. Portanto, presídios lotados são evidências de lucros, presídios vazios são sinais de prejuízos, como em qualquer hotel.

O detalhe é que cada preso em presídio privado é pago com o dinheiro público. A Pastoral Carcerária estimou em R$ 3.000,00 o custo de cada preso privado para o Estado.

Poderíamos investir esse dinheiro em escolas, mas preferimos investir em presídios.

Eduardo Cunha conseguiu reduzir a maioridade penal. Votaram com ele o PMDB, o PSDB, o DEM e outros partidos, gente da oposição e da tal “base aliada”. Sem dúvida, a indústria dos presídios está feliz com eles. Haverá mais clientes para suas empresas.

Não haverá nenhuma redução da violência no Brasil ao se reduzir a maioridade penal. Pelo contrário, vamos fortalecer as facções que dominam os presídios em todo o Brasil. Ali o preso não tem escolha, ou participa de alguma facção, ou ele e sua família estarão marcados para morrer.

Portanto, nessa votação há interesses econômicos e eleitoreiros, mas nenhum interesse na paz e na justiça. Teremos outras votações antes da decisão final, mas com tantas manobras talvez a razão tenha poucas chances.

Menores de 18 podem cometer crimes hediondos, sim. Mas, em casas de ressocialização muitos são recuperáveis. Nos presídios, nunca. Os congressistas sabem, mas por todos os motivos acima, preferem jogar os adolescentes na jaula dos leões.

Assim o Brasil vai se tornando cada vez mais uma sociedade policialesca, repressiva, mas não de paz. Como diziam os profetas da antiguidade, ou mesmo os da modernidade – como Gandhi, Luther King, Mandela e Papa Francisco -, a “paz é fruto da justiça”, não dos presídios e da repressão policial.

Paixão e morte de Amarildo (O DNA do Brasil sanguinário)

Roberto Malvezzi (Gogó)

00_Coluna_do_Gogo

A descrição do assassinado do pedreiro Amarildo, feita por representantes do Ministério Público no Jornal Nacional (22/06/2014) com tantos detalhes, me levou à comparação inevitável com Jesus na cruz pelas mãos das autoridades judaicas. Como não vi nenhuma reação a tanta perversidade, decidi reescrever sobre o assunto.

O fato de ser aprisionado, levado à UPP, sofrer torturas com sacos plásticos na cabeça, afogamentos e outras coisas que nem a representante do MP teve coragem de publicar, mostra um cenário de perversidades cabal por parte dos policiais.

Depois do crime, a ocultação do cadáver, com participação do BOPE, aquele mesmo de heróis como o Capitão Nascimento, consuma a cena.

Qual é mesmo o crime cometido por esse pedreiro? Dizem que ele ou a família ocultava alguma droga em sua pobre casa na favela e que não queria entregar o esquema, ou qualquer coisa assim, pouco importa. Por isso ele foi preso, torturado e morto.

Até hoje não sabemos exatamente de quem era o helicóptero preso com 450 kg de cocaína em Minas Gerais, muito menos quem era o dono da droga. Certamente, não era de alguém parecido com Amarildo, o pobre, o negro, o favelado.

Esse dias prenderam outro avião no Ceará, com 350 kg de cocaína. Até não sabemos de quem era o avião e muito menos de quem era a droga.

O Brasil não tem apenas um problema de segurança pública, mas o DNA de uma sociedade violenta, para parafrasear Barack Obama, quando dizia que os americanos do norte carregam o escravagismo em seu DNA. Não são apenas eles.

O Brasil é o país mais violento do mundo – mais do que aqueles que estão em guerra – com 50 mil assassinatos por ano. A grande maioria cometido por policiais. A grande maioria das vítimas tem a cara do Amarildo.

No campo ainda se mata trabalhadores rurais e indígenas como nos tempos dos bandeirantes. Basta conferir os relatórios da Pastoral da Terra e do CIMI.

A bancada da bala, junto com a da Bíblia e do boi, quer tornar – ou já tornou? – assassinato de policial um crime hediondo. Por que os crimes cometidos por policiais, como esse do Amarildo, também não são hediondos?

A sociedade brasileira é violenta e sanguinária. Porém, nos acostumamos a ela, como nos acostumamos ao fedor do Tietê e do Pinheiros, à destruição de nossas florestas e rios, à uma sociedade cujos 50% dos lares nem tem acesso à rede de esgoto.

Mas, não nos preocupemos. Vamos reduzir a maioridade penal e todos os problemas de violência da sociedade brasileira serão resolvidos. Pelo menos é o que acha a bancada BBB e 87% da população brasileira segundo o Data Folha.

“Louvado Seja”, Papa Francisco

Roberto Malvezzi (Gogó)

00_Coluna_do_Gogo

Papa Francisco  (Photo por Christopher Furlong/Getty Images)

Papa Francisco (Photo por Christopher Furlong/Getty Images)

A encíclica ecológica do Papa começa na dose mais vasta e profunda que poderia ter: “Nós somos terra. Todo nosso corpo é constituído de elementos do planeta, seu ar é aquele que nos dá a respiração e sua água vivifica e restaura” (Tradução pessoal do texto italiano, número 2).

Esse é ponto de partido exato de qualquer reflexão sobre a vida sobre a Terra. Do ponto de vista biológico, somos qualquer animal, parte da terra, dependentes dela e, sem água, sem comida, sem ar, sem um ambiente próprio para a vida, morremos como todos os outros animais.

Lembrando São Francisco, o Papa diz que a Terra é “mãe e irmã”. Portanto, toda a comunidade da vida só pode ser entendida nessa irmanação universal.

O Papa não esquece, desde o início da encíclica, de lembrar que a Terra está “oprimida e devastada” e, retomando Paulo em Romanos 8, reafirma que ela “geme em dores de parto”.

Retoma Paulo VI no número 5 e recorda que os avanços técnicos, científicos, se sozinhos, podem conduzir a Terra e a humanidade a uma catástrofe, se não forem acompanhados de um autêntico desenvolvimento “social e moral”. Portanto, retoma a questão ética colada à técnica.

E propõe como saída a mudança do estilo de vida, também no modo de produção e consumo. E retoma Bento XVI para reafirmar que o problema é “estrutural”.

Ainda como fundamento da reflexão, Francisco lembra que a destruição do ambiente está vinculada à uma cultura de morte, que agride também o ser humano. Essa realidade a Pastoral da Terra experimenta e reflete há anos: “aqueles que destroem as florestas e rios, são os mesmos que mataram Chico Mende e Irmã Dorothy”.

O Papa segue a partir daí com fatos já sobejamente conhecidos: consumismo, deflorestação, lixo, mudanças climáticas e todas suas causas e efeitos, etc., fazendo do planeta um “lugar de imundícies” (número 24).

Destaca a questão da água e da biodiversidade, inclusive da invisível, fundamental para os solos, plantas e reprodução da vida (número 34).

Francisco ainda chama a atenção que “o grito da Terra é o grito dos pobres” (49), realçando que a questão é socioambiental.

No número 41 o Papa toca o dedo na ferida, afirmando que a responsabilidade fundamental por essa crise vem do Norte, dos países desenvolvidos, que exploram os países do sul, inclusive transferindo para esses a produção suja, que não querem ter em seus próprios territórios. Aquilo que chamamos de “injustiças socioambientais”.

Na parte do “julgar” – não está com esse nome, mas o documento segue a lógica do Ver, Julgar e Agir – a ênfase será no texto bíblico do “cultivar e guardar” (Gen. 2,15), no Cristo Cósmico e na redenção da criação (Rom. 8).

No agir, assume praticamente todas as boas lutas socioambientais que fazemos – agroecológica, energia, transportes, preservação das florestas, cidades dignas do ser humano, mecanismos globais para controle do efeito estufa, mudanças climáticas, etc. -, portanto, nada de novo. Por fim, a necessidade de mudar o “modelo global de desenvolvimento”(194). Essa é a grande síntese.

Para nós, cristãos, aponta a necessidade de uma “Espiritualidade Ecológica” (Capítulo Sexto, 202). Implica a mudança do “estilo de vida”, “uma educação para o respeito ao ambiente”, que começa nas atitudes do cotidiano e se amplia para a globalidade, enfim, a “conversão ecológica” (216), que é alegre, contemplativa, cuidadora, sóbria, que gosta de arte, de música, celebrações (inclusive eucaristia), enfim, sem o consumismo crasso da sociedade contemporânea.

O texto conclui com uma bela oração sobre a criação.

O novo desse texto para nós, aqueles que fazemos esse caminho há tantas décadas, é que agora nos vejamos plenamente contemplados num documento oficial do Vaticano.

Que o documento produza os frutos semeados.

Sem dúvida, sinal dos tempos.

Último treino da Seleção de Remanso para a grande final

Último treino - Final do Campeonato Regional

Nesta sexta-feira, 05/06, a Seleção de Remanso fez o seu último treino para o jogo da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu, no Piauí. A final será disputada contra a Seleção de Várzea Branca-PI.

O treino foi apenas um recreativo para relaxamento muscular e no final da manhã vários atletas treinaram pênaltis, que será necessário, caso a jogo termine empatado.

Vejam algumas fotos:

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Seleção de Remanso está pronta para a grande final

IMG_8465

Ontem, 04/06, feriado de Corpus Christi, a seleção de Remanso não teve refresco e treinou duro para a grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu, no Piauí. Pela manhã o time fez um coletivo e à tarde houve apenas um treino recreativo leve, com treinamento de cobranças de pênaltis no final da tarde.

Hércules, treinador da Seleção de Remanso.

Hércules, treinador da Seleção de Remanso.

Em entrevista para o Blog o treinador Hércules falou que a seleção está preparada para o grande embate contra a seleção de Várzea Branca-PI. Na preleção antes do treino o “professor” falou da grande campanha que o time fez durante todo o campeonato, sendo a única equipe invicta até agora, e da expectativa que a torcida remansense vive em função deste grande jogo. “Não se fala outra coisa em Remanso e nós contamos com a participação de todos os torcedores, que será de grande importância para a nossa cidade”.

O diretor de esportes Wilton Bacelar, o “Bêga”, disse que “a equipe está preparada física e tecnicamente para este jogo”. “Vamos levar pelo menos cinco ônibus com torcedores, além de muitos carros particulares, que já estão prontos para viajar e acompanhar a nossa seleção na decisão em Anísio de Abreu”.

O treino desta quinta ainda teve um notícia motivadora para três atletas da seleção, Panga, Coran e Lucílio, que foram convidados pela equipe do Serrano (da Bahia) para disputar o Campeonato Brasileiro da série D. O treinador Hércules falou sobre este convite: “Eu sempre falo para os atletas que havendo esforço e dedicação sempre vem a coroação do trabalho com convites como este”. Perguntado sobre a decisão dos atletas em relação aos convites ele respondeu: “No momento estamos concentrados na decisão do próximo sábado e somente depois desse jogo voltaremos a falar sobre o assunto”.

Coran, atleta da seleção de futebol remansense.

Coran, atleta da seleção de futebol remansense.

Lucílio, atleta da seleção remansense de futebol.

Lucílio, atleta da seleção remansense de futebol.

Panga, atleta da seleção remansense de futebol.

Panga, atleta da seleção remansense de futebol.

A novidade no treino foram os atletas Brian, Buiú e Darwin que apareceram de cabelos descoloridos. “Foi uma promessa que fizemos ainda no mês de abril que se a gente chegasse na final íamos descolorir os cabelos”, disse Buiú.

Darwin, Buiú e Brian: promessa para descolorir o cabelo na final.

Darwin, Buiú e Brian: promessa para descolorir o cabelo na final.

Vejam as entrevistas de Hércules, Brian, Darwin, Buiú e Bêga:

Secretaria de Educação de Remanso realiza o II Seminário dos Programas PACTO/PNAIC

00_IMG_7873

Aconteceu no último sábado (30/05) o II Seminário Programas PACTO/PNAIC: Alfabetização, Matemática na Perspectiva do Letramento e do Diálogo com outras áreas do conhecimento, no auditório da Universidade Aberta do Brasil (UAB), em Remanso, Bahia.

O objetivo do seminário foi apresentar os trabalhos realizados através dos programas PACTO/PNAIC, parcerias entre os governos Federal, Estadual e Municipal, programas estes que buscam assegurar “plena alfabetização de todas as crianças até os oito anos de idade, ao final do 3º Ano d Ensino Fundamental”.

O público alvo do seminário foram os professores alfabetizadores, representantes políticos, gestores e coordenadores pedagógicos das unidades escolares do município de Remanso.

Professora Kátia Cilene.

Professora Kátia Cilene.

A professora Kátia Cilene Batista Bacelar Silva, representando o coordenação local, apresentou o Programa na abertura do seminário.

Geovana Pereira de Brito - Leitura textual.

Geovana Pereira de Brito – Leitura textual.

Maria Fernanda - Leitura textual.

Maria Fernanda – Leitura textual.

Como demonstração da eficácia do PACTO/PNAIC, foram feitas duas leituras textuais por alunas representantes de escolas do interior do município e da sede. A primeira aluna a fazer a leitura foi a Geovana Pereira de Brito, representando as escolas do interior, e a segunda foi  Maria Fernanda, representando as escolas da sede. As duas garotas fizeram as leituras com muita segurança e obedecendo as pausas de pontuação, o que não é muito fácil para crianças na faixa etária dos 6 anos de idade. Importante: a aluna Maria Fernanda, filha do amigo Nilton Show, demonstrou, ao ser abordada pela professora Enimara Ferreira, formadora Estadual do PACTO, que além de uma boa leitura estava bastante afiada na interpretação do texto.

Apresentação dos grupos de professores.

Apresentação dos grupos de professores.

As escolas, divididas em grupos, apresentaram amostras de como trabalharam os cadernos 01, 02, 03, 04, 05, 06, 07 e 08 em sala de aula, demonstrando que a Alfabetização Matemática é um instrumento fundamental para a leitura do mundo e supera a decodificação pura e simples dos números e da resolução das quatro operações básicas.

Maria Anália Miranda, Secretária de Igualdade e Assistência Social.

Maria Anália Miranda, Secretária de Igualdade e Assistência Social.

A Secretária de Igualdade e Assistência Social, Professora Maria Anália Miranda, falou da importância dos programas PACTO/PNAIC para o município e traçou um paralelo entre as ações libertadoras provocadas por estes programas e as ações da sua secretaria na luta incessante pelo fim da exploração provocada pelo do trabalho infantil.

O seminário contou ainda com palestras das professoras formadoras do pacto com os municípios, Enimara Ferreira da Silva Lins e Dinoelma da Silva Moura.

Professora Enimara Ferreira da Silva Lins, formadora do PACTO.

Professora Enimara Ferreira da Silva Lins, formadora do PACTO.

Professora Dinoelma da Silva Moura, formadora do PACTO.

Professora Dinoelma da Silva Moura, formadora do PACTO.

Em tempo: Uma coisa que sempre me chama a atenção neste tipo de encontro é, apesar de estarem como público alvo, a ausência da classe política. É uma raridade ver um vereador. Neste, especialmente, não tinha nenhum.

Em tempo 2: a ausência da Secretária Municipal de Educação foi justificada.

Vejam mais algumas fotos:

Relax.

Relax.

Pedro, Neila e Socorro.

Pedro, Neila e Socorro.

Professor Pedro Ferreira de Castro.

Professor Pedro Ferreira de Castro.

Soldado Fábio - Representante do PROERD-Remanso.

Soldado Fábio – Representante do PROERD-Remanso.

Seminário do PACTO/PNAIC.

Seminário do PACTO/PNAIC.

Seminário do PACTO/PNAIC.

Seminário do PACTO/PNAIC.

Seminário do PACTO/PNAIC.

Seminário do PACTO/PNAIC.

Seminário do PACTO/PNAIC.

Seminário do PACTO/PNAIC.

Pedagoga Neila Régis - Homenagem pelo aniversário.

Pedagoga Neila Régis – Homenagem pelo aniversário.

Somos Finalistas: Remanso 3 x 1 Tanque Velho

Remanso 3 x 1 Tanque Velho

Neste sábado, 23/05, em Anísio de Abreu, Piauí, a seleção de Remanso-BA venceu a seleção de Tanque Velho-PI pelo placar de 3 a 1, em jogo onde foi decidida a primeira vaga para a grande final do 9º Campeonato Regional de Futebol de Anísio de Abreu.

Apesar da vitória com um placar folgado, o jogo não foi fácil para a equipe baiana. O primeiro tempo foi bastante travado e, apesar da equipe remansense ter jogado bem melhor do que a equipe de Tanque Velho, com algumas oportunidades perdidas pelos seus atacantes,  terminou empatado em zero a zero.

Clerinho - Primeiro gol de Remanso.

Clerinho – Primeiro gol de Remanso.

Durante a semana de treinamento o meia Buiú foi poupado devido a uma contusão, mas mesmo assim participou de todo o primeiro tempo do jogo. No intervalo Buiú foi substituído por Clerinho e esta modificação feita pelo técnico Hércules deu uma alavancada na equipe remansense e, por volta dos 21 minutos, Clerinho marcou um belo gol. Mal deu tempo da torcida comemorar e a seleção de Tanque Velho empatou numa jogada rápida e que culminou com o gol do centroavante Sócrates num leve desvio de cabeça, sem dar chance para o goleiro Valtinho, aos 22 minutos.

Sócrates - Gol de Tanque Velho-PI

Sócrates – Gol de Tanque Velho-PI

Lucílio: Segundo gol de Remanso.

Lucílio: Segundo gol de Remanso.

O gol deu novo ânimo para os tanquevelhenses, mas aos 39 minutos Lucílio marcou o segundo gol dos remansenses numa bela cabeçada, sem chances para o goleiro Raimundinho. Até parecia que a equipe de Remanso é que precisava ir atrás do resultado, com seus jogadores aparentado um certo nervosismo. Mas o tempo passava e a seleção de Tanque Velho não conseguia achar o caminho do gol, com algumas subidas em bloco. Numa dessas subidas os remansenses tomaram a bola e partiram num contra-ataque fulminante, onde o zagueiro acabou derrubando Guina (camisa 19) dentro da grande área e o juiz marcou pênalti, já nos acréscimos da partida. Lucílio bateu o pênalti e deu números finais ao placar do jogo, com Remanso vencendo por 3 a 1 e se classificando para a grande final que será realizada no próximo dia 06 de junho, contra o vencedor do jogo deste domingo, 24/05, entre Jurema e Várzea Branca.

Torcida de Remanso.

Torcida de Remanso.

Muitos torcedores remansense compareceram e lotaram uma das arquibancadas do estádio de Anísio de Abreu. O prefeito de Remanso, Dr. Celso, assistiu ao jogo, junto com alguns secretários e o vereador João Neto, na tribuna de honra do estádio. Ao final do jogo Dr. Celso e o treinador Hércules foram lançados para cima pelos jogadores de Remanso, inclusive com o tradicional banho gelado do treinador.

Hércules (Técnico de Remanso), Dr. Celso (Prefeito), Tomaz Neto (Sec. de Esportes) e Wilton "Bêga" (Dir. de Esportes).

Hércules (Técnico de Remanso), Dr. Celso (Prefeito), Tomaz Neto (Sec. de Esportes) e Wilton “Bêga” (Dir. de Esportes).

Hércules tomando um banho gelado.

Hércules tomando um banho gelado.

Os jogadores remansenses comemoraram a vitória com um jantar na Churrascaria e Bode Assado Divisa, do amigo Manoel Brito, em Dirceu Arcoverde, Piauí.

Manoel Brito, proprietário da Churrascaria e Bode Assado Divisa, em Dirceu Arcoverde-PI

Manoel Brito, proprietário da Churrascaria e Bode Assado Divisa, em Dirceu Arcoverde-PI

Remanso:  Valtinho (1), Leandro (2), Hélio (3), Rômulo (4), Coran (5), Marcelo (6), Léo (16), Rodrigo (7), Lucílio (9), Buiú (10) e Panga (11). Entraram no decorrer do jogo: Diego (14), Clerinho (18), Guina (19) e Bruno (20), nos lugares de Leandro, Buiú, Rodrigo e Panga.

Seleção de Remanso-BA.

Seleção de Remanso-BA.

Tanque Velho: Raimundinho (1), João Paulo (2), Alex (3), Diogo (4), Rogério (5), Diego (6), Netinho (7), Eltinho (8), Sócrates (9), Diego (10) e Nô (11). Entraram depois: Nielson (21), Márcio (15), Wesley (17), Sérgio (18) e Cassiano (19), nos lugares de Rogério, Diego, Netinho, Eltinho e Nô.

Seleção de Tanque Velho-PI.

Seleção de Tanque Velho-PI.

Árbitros: Marivaldo (Tato), Eduardo Filho (auxiliar 1) e Esdras (auxiliar 2).

Marivaldo (Tato), Eduardo Filho (auxiliar 1) e Esdras (auxiliar 2).

Marivaldo (Tato), Eduardo Filho (auxiliar 1) e Esdras (auxiliar 2).

Gols: Clerinho (1) e Lucílio (2) para Remanso e Sócrates (1) para Tanque Velho.

Cartões AmarelosRemanso: Leandro (2), Lucílio (9) e Vadú (8); Tanque Velho: Alex (3), Netinho (7), Márcio (15) e Cassiano (19).

Técnicos – Remanso: Hércules; Tanque Velho: ??

Em tempo (Domingo: 24/05/2015, 23:14h): A seleção de Várzea Branca venceu a seleção de Jurema por 1 a zero e vai enfrentar Remanso no dia 06 de junho.

Vejam mais algumas fotos do jogo:

Torcida de Remanso.

Torcida de Remanso.

De volta pra casa.

De volta pra casa.

De volta pra casa.

De volta pra casa.

De volta pra casa.

De volta pra casa.

9º Campeonato Regional de Futebol de Anísio de Abreu - Jogo Semifinal - Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

9º Campeonato Regional de Futebol de Anísio de Abreu – Jogo Semifinal – Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Hércules tomando um banho gelado.

Hércules tomando um banho gelado.

Comemoração.

Comemoração.

Oração após o final do jogo.

Oração após o final do jogo.

Conversa de "pé-de-ouvido" com o técnico.

Conversa de “pé-de-ouvido” com o técnico.

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Balé do futebol.

Balé do futebol.

Lucílio comemorando o seu primeiro gol.

Lucílio comemorando o seu primeiro gol.

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Torcida remansense.

Torcida remansense.

Joel Potinho em "conferência" com a torcida de Tanque Velho.

Joel Potinho em “conferência” com a torcida de Tanque Velho.

Joel Potinho provocando a torcida adversária.

Joel Potinho provocando a torcida adversária.

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

"Comissão" técnica de Tanque Velho.

“Comissão” técnica de Tanque Velho.

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Remanso-BA 3 x 1 Tanque Velho-PI

Marcação serrada. rsrs

Marcação serrada. rsrs

Torcida de Remanso.

Torcida de Remanso.

Hércules e Bêga.

Hércules e Bêga.

Torcida de Remanso.

Torcida de Remanso.

Escolas infantis de Remanso recebem material pedagógico

Maria Olívia, secretária de Educação.

Maria Olívia, secretária de Educação (Foto de arquivo).

Crianças e adolescentes de Remanso vêm recebendo uma atenção especial na educação. Nessa quarta-feira (29), a secretaria municipal de Educação, em parceria do programa Brasil Carinhoso, entregou kits pedagógicos para 11 escolas de ensino infantil. A solenidade aconteceu no auditório da secretaria e reuniu professoras, coordenadoras e gestoras.

Cada kit é composto por livros, musicoteca, fantoches, cozinha infantil, tapete de letras e números, entre outros, que auxiliam no desenvolvimento infantil através de atividades lúdicas. Para a gestora da Escola Pequeno Príncipe, Neide Pinheiro, o material é uma forma de melhorar o trabalho do professor em sala de aula e despertar um interesse das crianças à educação. “Quando uma criança chega em uma escola com material didático e pedagógico suficiente para trabalhar com cada uma, ela vai querer ir para a escola todos os dias. E para o professor ter ferramentas de ensino que facilitam o dia a dia e traga esse retorno da criança é muito gratificante”, explica.

Desde o início da gestão, a prefeitura vem procurando formas de melhorar e ampliar a qualidade do ensino em Remanso, principalmente na educação infantil. “O que as crianças aprendem hoje, levam por toda vida, e nós sabemos que a educação infantil é a base de toda educação. Se as crianças saem sabendo ler da pré-escola vão se desenvolver melhor nas outras séries”, afirma a secretária de Educação, Maria Olívia Miranda.

A decadência econômica do rio São Francisco.

Roberto Malvezzi (Gogó)

00_Coluna_do_Gogo

Rio São Francisco, em Manga-MG>

Rio São Francisco, em Manga-MG>

O óbvio se confirma. As principais atividades econômicas do rio São Francisco começam a entrar em decadência, em razão da diminuição do volume de água do Velho Chico. Hoje o ponto com mais água está aqui entre Juazeiro e Petrolina, com 1.000 m3/s. Vale lembrar que a vazão média do São Francisco até alguns anos atrás era de 2.800 m3/s. Sobradinho está com apenas 17% de sua capacidade ocupada por água.

Não estamos falando da pesca, da agricultura de vazante, nenhuma dessas economias das populações tradicionais. Essas estão extintas ou fragilizadas há muitos anos. Falamos da economia do capital.

A geração de energia começa declinar. Nesse momento apenas uma de seis turbinas está gerando energia em Sobradinho. Construído mais para servir de caixa d’água para as barragens à jusante que para gerar energia, foi aproveitada de última hora no regime militar para também gerar. Num debate na Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (CODEVASF) na semana da água, os técnicos avisaram que a única turbina em funcionamento vai parar até final de junho ou início de julho.

Segundo, foi avisado que em final de julho e começo de agosto vários projetos de irrigação da região poderão ter seu acesso à água cortado. Os dois mais ameaçados são o Nilo Coelho – margem esquerda, Petrolina – e o Maniçoba na margem direita, em Juazeiro. Em ambos a distância da água será tão grande que sua captação será inviabilizada.

Acontece que Juazeiro/Petrolina montaram sua economia baseada na irrigação. São as fazendas irrigadas, que demandam água, insumos, implementos, mão de obra, que por sua vez movimentam o comércio de alimentos, eletrodomésticos, construção civil, carros, bares, restaurantes, assim toda cadeia produtiva.

Em breve pode acontecer com Juazeiro/Petrolina o que Monteiro Lobato chamou de “Cidades Mortas” no Vale do Paraíba depois que o ciclo do café se encerrou e deixou para trás cidades fantasmas economicamente mortas. Toda economia baseada em um único ramo produtivo acaba por ter esse final trágico.

Por fim, o que era para ser uma hidrovia – vocação natural do Velho Chico entre Juazeiro e Pirapora – hoje não passa de um filete de água com a população atravessando à pé seu leito, como é o caso entre comunidades de Pilão Arcado e Xique-Xique. Nem barcos menores conseguem mais navegar com facilidade. A ideia de transportar a soja do Oeste Baiano para Juazeiro ou Petrolina via rio hoje não passa de um delírio.

Mesmo assim vários projetos de expansão da água do São Francisco continuam na agenda, como a Transposição de Águas para outros estados no Nordeste, o Canal do Sertão em Petrolina, o Baixio do Irecê na Bahia, assim por diante.

Que a equação não fecha todos sabem. Enquanto isso, o Velho Chico definha a olhos vistos. Agora os que se beneficiam do rio – setor elétrico, irrigação, agro e hidro negócios, etc. – começam sentir na pele o resultado do processo destrutivo. O futuro dessas atividades econômicas está atrelado inexoravelmente ao futuro do rio. Aliás, como de toda população do Vale.

Essa decadência não é pontual. Há mais de dez anos, desde o apagão, o São Francisco não mais recuperou grandes volumes de água. Portanto, o raciocínio correto é que essa é a nova realidade, a exceção será alguma cheia.

Aqui em Juazeiro/Petrolina os irrigantes estão apavorados e não é sem razão. Porém, nada indica que se queira rever a fundo o modelo econômico predador imposto ao velho rio.