Seleção de Remanso é primeira do Grupo 1 no Intermunicipal Baiano de 2015

IMG_9619

Seleção de Remanso no jogo inicial do Grupo 1 – Campeonato Intermunicipal 2015

No último domingo, 16/08, a seleção de Remanso venceu a seleção de Casa Nova pelo placar apertado de 1 a 0. Após o empate em 2 a 2 na primeira rodada contra a seleção de Mairí, os jogadores de Remanso treinaram duro durante a semana e chegaram em Casa Nova bastante determinados a vencer a partida.

Jonis Gleison "Buiú" comemorando seu gol no empate de 2 a 2 contra Mairí.

Jonis Gleison “Buiú” comemorando seu gol no empate de 2 a 2 contra Mairí.

Os remansenses não tiveram moleza na partida, mas a expulsão de um atleta da seleção casa-novense fez com que Remanso partisse para cima e, após uma rebatida do goleiro, o artilheiro Lucílio marcou o único gol da partida por volta dos 25 minutos do segundo tempo.

Com este resultado a seleção de Remanso assumiu a liderança do Grupo 1 com três pontos, ficando Mairí em segundo com um ponto e Casa Nova em terceiro, sem pontos. Nas duas próximas rodadas a nossa seleção descansa, voltando a jogar na quinta rodada no jogo de volta contra Casa Nova, no dia 06 de setembro.

Já a seleção de Casa Nova, numa situação bem complicada, enfrenta a seleção de Mairí nas duas próximas rodadas, sendo o primeiro jogo em Mairí no domingo, 23/08, e o segundo em Casa Nova no sábado, 29/08. Na última rodada desta primeira fase a seleção de Remanso enfrenta a seleção de Mairí na casa do adversário, no dia 13 de setembro.

Veja a classificação do Campeonato Intermunicipal 2015 e as próximas rodadas no site da Federação Baiana de Futebol: http://www.fbf.org.br/intermunicipal/?menu=classificacao

Treinamento para os próximos jogos

Nesta semana e na próxima, os jogadores vão treinar bastante para os próximos jogos. Os treinos são realizados ou no campo do CRM ou no estádio municipal Walter Dias Ribeiro. Os treinos são sempre pela manhã e pela tarde, sendo que na segunda, quarta e sexta os treinos são apenas pela manhã.

Durante os treinos desta terça-feira, 18/08, o treinador Hércules falou ao Blog do Tovinho Régis. Veja a entrevista:

Abaixo algumas fotos do treino.

Resenha após o treino.

Resenha após o treino.

Melancia para repor energias no fim do treino.

Melancia para repor energias no fim do treino.

Joel Becker, zagueiro da seleção.

Joel Becker, zagueiro da seleção.

Guina, Coran e Leandro - Seleção de Remanso.

Guina, Coran e Leandro – Seleção de Remanso.

Nada vale a pena quando a alma é pequena.

00_Coluna_do_GogoRoberto Malvezzi (Gogó)

O que mais chama a atenção da direita que está nas ruas é sua alma pequena, a incapacidade de enxergar o outro, o olhar narcisístico que só enxerga o espelho.

Aliás, essa é a essência de ser de direita, não enxergar ninguém mais além do próprio umbigo.

Em qualquer país do mundo que se chega, os cidadãos gostam de falar de suas conquistas, inclusive da justiça social. Só aqui o fato dos pobres saírem da miséria, de participarem um pouco mais dos frutos do trabalho, de conquistar bens básicos como água, alimentação, moradia, sem falar na energia, no telefone, etc., gera tristeza e ódio nessa população que está nas ruas.

Não há em seus discursos um único gesto de solidariedade, uma única palavra de reconhecimento pelas conquistas que as populações mais marginalizadas desse país fizeram nos últimos anos.

Os problemas desse governo são muitos, a corrupção é um deles, mas não o único e nem o principal. Os juros do Brasil devoram nossas riquezas, por eles há multidões que perdem muito e poucos banqueiros e especuladores que ganham uma fábula. O insuspeito Benjamim Steinbruch calculou que de 2013 a 2015 o Brasil pagará 1,038 trilhão de reais de juros (“Você Sabia?” UOL, 11/08/2015). O que é o dinheiro da Lava Jato diante dessa fábula de recursos públicos transferidos para os especuladores?

Além do mais o combate à corrupção é farisaico e seletivo, até porque há outros escândalos como o da Suíça, dos Zelotes, que flagrou gente da mídia, donos de meios de comunicação, jornalistas, apresentadores de TVs, artistas, gente do meio jurídico. Mas, esses parece que podem fazer o que fazem.

Portanto, o combate à corrupção acaba sendo apenas um pretexto – além da monumental hipocrisia – para a direita que vai às ruas pedir impedimentos e retorno do regime militar.

Lembrando e invertendo Fernando Pessoa, “nada vale a pena quando a alma é pequena”.

Remanso estreia no domingo no Intermunicipal Baiano de 2015 contra Mairi.

IMG_8664

No próximo domingo, 09/08, a bola começa a rolar na maior competição de futebol amador do Brasil, o Campeonato Baiano Intermunicipal de 2015. “Até dezembro, quando será conhecido o campeão, a Bahia irá respirar Intermunicipal. Afinal, nenhum outro torneio de futebol no país é capaz de gerar 2000 empregos diretos e outros 8000 indiretos de profissionais que trabalham como treinadores, preparadores físicos, supervisores, massagistas, enfermeiros, porteiros, bilheteiros, vendedores ambulantes, prestadores de serviços etc.”, conforme o site da Federação Baiana de Futebol (http://www.fbf.org.br/intermunicipal/?menu=noticias&id=633).

A equipe de Remanso, por ser cabeça de chave do Grupo 01, faz a sua primeira partida em casa, no domingo, 09/08, no Estádio Municipal Walter Ribeiro contra a equipe de Mairi. O segundo jogo será fora de casa contra a equipe de Casa Nova no próximo dia 16. Veja a tabela completa aqui (http://www.fbf.org.br/ckfinder/userfiles/files/tab_inter2015_rdt3415_050815(1).pdf).

O Blog do Tovinho Régis esteve no treino desta quinta-feira no Estádio Municipal Walter Ribeiro, onde foram realizadas reformas importantes para o Intermunicipal 2015, e entrevistou o prefeito Celso Silva e Souza e o técnico da seleção Hércules. Dr. Celso falou da importância do Intermunicipal, das reformas no estádio e da festa de aniversário da cidade que acontece no mesmo dia da estreia de Remanso. Vejam as entrevistas do prefeito e do treinador de Remanso:

Vejam a seguir informações do site da Federação Baiana de Futebol sobre o Intermunicipal 2015:

“Na primeira fase, as Seleções jogarão entre si em jogos de ida e volta dentro dos respectivos grupos. Classificam para a segunda fase as três primeiras colocadas de cada grupo de quatro e as duas primeiras colocadas de cada grupo de três Seleções.

Na fase seguinte, as 48 Seleções classificadas serão divididas em 24 grupos de duas cada. As equipes se enfrentarão em jogos de ida e volta e avançarão as 24 vencedoras dos confrontos e as oito perdedoras que tiverem as melhores campanhas na 1ª e 2ª fases, totalizando 32 Seleções. Havendo empate em pontos ganhos, o desempate, para fins de classificação à 3ª Fase, dar-se-á observando-se os critérios de maior saldo de gols. Persistindo o empate, a decisão será através da cobrança de tiros livres direto, da marca do pênalti, sendo a primeira série de 05 (cinco) cobranças para cada Seleção com cobranças alternadas, não repetindo o mesmo cobrador, persistindo o empate na primeira série, as outras séries serão de apenas 01 (uma) cobrança para cada Seleção por série, sempre em cobranças alternadas até que estabeleça uma Seleção vencedora.

Já para a 4ª fase, serão classificadas as 16 Seleções vencedoras dos duelos da terceira fase. Após dois confrontos, de ida e volta, os vencedores farão seguirão para as quartas de final. Assim como nas oitavas, o saldo de gols e em seguida as disputas de pênaltis decidirão os classificados em caso de empates.

A mesma fórmula será utilizada nas quartas, quando de oito Seleções ficarão as quatro semifinalistas. Destas, serão conhecidas as duas finalistas da competição.

Como antecipado pela FBF, a abertura do Campeonato acontecerá no dia 9 de agosto, às 10h30, na cidade da campeã da última edição. Cachoeira receberá, em casa, a Seleção de São Félix. No mesmo dia, mas às 15h, todas as outras Seleções entram em campo para fazer suas estreias e concluir a primeira rodada. Já a final está marcada para o dia 6 de dezembro.

Homenageado – O homenageado do Intermunicipal 2015 será o baiano Antônio José Santana Martins. Mais conhecido como “Tom Zé”, o cantor, compositor e arranjador brasileiro, aos 78 anos, dará seu nome ao troféu de campeão.

Nascido em Irará, o artista, fez parte do Tropicalismo, ao lado dos também baianos Caetano Veloso, Gilberto Gil, Gal Costa e do grupo paulista Os Mutantes. Uma das figuras mais autênticas e elogiadas da Música Popular Brasileira (MPB), Tom Zé é apaixonado por futebol.

Já o troféu de vice-campeão levará o nome de Miranda. Altamirando Chaves, de Cahoeira, foi ex-jogador do Intermunicipal e dirigente da Liga. O cachoeirano dedicou mais de 40 anos da sua vida ao futebol amador da Bahia”.

Confira abaixo o regulamento no link a seguir:

http://www.fbf.org.br/ckfinder/userfiles/pdf/reg_inter2015_010815(2).pdf

Fotos dos treinos da seleção:

IMG_8651

Oração antes de iniciar os treinamentos.

IMG_8662

Hécules, treinador da Seleção de Remanso.

IMG_8739

Treino forte para o jogo de estreia.

IMG_8756

Coletivo apronte.

IMG_8659

Preleção antes de iniciar o treinamento.

IMG_8765

Jonis Gleison “Buiú”, meia da Seleção de Remanso.

IMG_8773

André Luiz “Dedeco”.

IMG_8777

Dr. Celso, prefeito de Remanso.

IMG_8785

Dr. Celso, Domingos Sávio, Tomaz Neto, Arismar e Dionísio.

IMG_8791

Regulamento do Campeonato Intermunicipal 2015.

IMG_8793

O meia Gugu vai desfalcar o time nas primeiras rodadas.

IMG_8797

Treino no Estádio Walter Ribeiro.

IMG_8807

Treino no Estádio Walter Ribeiro.

IMG_8809

Treino no Estádio Walter Ribeiro.

IMG_8813

Treino no Estádio Walter Ribeiro.

IMG_8833

Jonis Gleison “Buiu” e Gugu – Estádio Walter Ribeiro.

IMG_8836

Estádio reformado para o Campeonato Intermunicipal 2015.

A crise hídrica perfeita.

Roberto Malvezzi (Gogó)

00_Coluna_do_Gogo

São cinco fatores fundamentais que geram a atual crise hídrica brasileira.

O primeiro, alertado por vários cientistas, é a possível ruptura no ciclo de nossas águas. Em resumo, grande parte delas tem origem na evapotranspiração da floresta amazônica, sendo carreada para o sul, centro-oeste e sudeste pelos rios voadores. Com a derrubada da floresta amazônica os rios voadores estão perdendo força.

Completa essa ruptura o desmatamento do Cerrado, que tem como consequência sua impermeabilização. O Cerrado não está na origem do ciclo de nossas águas, mas tem o papel fundamental de armazená-las em tempos de chuva e depois liberá-las para nossas bacias hidrográficas em tempos de estiagem. É o que os técnicos chamam de vazão de base. Ela garantia a perenidade de nossos rios, a exemplo do São Francisco. Hoje porém, com menos absorção, não garante mais.

O segundo fator é a escassez qualitativa. Destruídos, poluídos, muitas vezes os mananciais estão ao lado de nossas casas, cortando nossas cidades, mas impróprios para o consumo humano e doméstico. O exemplo mais clássico são as águas do Tietê do Pinheiros em São Paulo. Mas podemos estender essa lógica a todos os rios que atravessam centros urbanos, desde os pequenos até os grandes.

O terceiro fator é a expansão do uso da água para fins econômicos, particularmente a agricultura irrigada. Hoje temos 6 milhões de hectares irrigados e eles são responsáveis por 72% da água doce consumida no Brasil. Entretanto, estudiosos dizem que temos potencial para mais 29 milhões de hectares – outros falam em 60 milhões -, sobretudo no território do agronegócio chamado de MATOPIBA, iniciais de Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

O quarto fator é o hidronegócio. A mercantilização da água despertou cobiça no mundo inteiro em seus múltiplos usos, particularmente dos serviços de abastecimento urbano e na água envazada. Quando um bem essencial à vida como a água é apropriado privadamente e mercantilizado, passa a ser gerido pelas regras absolutistas do mercado. A consequência é o preço exorbitante da água para populações mais pobres e o lucro soberbo das empresas que adquirem esses serviços. O que aconteceu em Itu e nas periferias da grande São Paulo ilustram esse fator de forma cabal.

Finalmente, o descuido. Não temos nenhuma política de educação, ética do cuidado com nossos mananciais ou a utilização de nossas águas. Mesmo quando a questão é abordada, simplesmente prefere-se transferir o problema para os consumidores domésticos, exatamente a parte menos influente na crise.

A ruptura do ciclo das águas + escassez qualitativa + expansão da demanda + hidronegócio – cuidado. Eis a equação da crise perfeita e perversa.

Propina ou doação, tanto faz…

Roberto Malvezzi (Gogó)

00_Coluna_do_Gogo

O PT tem bloqueio para fazer autocrítica e admitir seus próprios erros. O problema fundamental não é se o dinheiro das campanhas foi doação ou propina, mas o fato de mergulhar em fábulas de dinheiro privado para ganhar eleições. Antes que legal, é um problema ético e político.

Para a eleição de 2014 o PT recebeu 147 milhões, PSDB 82 milhões, PMDB 76 milhões, PSB 32 milhões, PP 17 milhões, PR 11 milhões, DEM 7 milhões, PC do B 6 milhões, assim todos os partidos, até chegar aos menores (“Quanto cada partido recebeu das empreiteiras da Lava Jato”, congressoemfoco.uol.com.br).

É uma lástima ver pessoas como Moro, gente do Ministério Público, Polícia Federal, gastar meses e meses para tentar discernir se o dinheiro das campanhas foi doação ou propina. São vítimas do legalismo que sempre moveu esse país. Desculpem a sinceridade, mas falta a esses homens a compreensão da formação social e histórica do país, de como a corrupção sempre se constituiu na privatização do Estado brasileiro. Doação ou propina, tanto faz. Quem recebe, uma vez eleito, terá que pagar com obras ou outras benesses. Portanto, falta-lhes um pouco de Raimundo Faoro.

As empreiteiras impõem a agenda de obras no Brasil. Algumas claramente inúteis – Mané Garrincha, estádio de Manaus, etc. –, outras duvidosas – Transposição, Belo Monte, etc. – e que muitas vezes ocupam o lugar e a verba de obras necessárias, como é o caso do saneamento básico, das adutoras, do transporte público urbano, da energia eólica e solar, ou investimentos em educação e saúde.

O que está estampado na mídia tradicional todos os dias – é uma tortura abrir esses jornais e revistas e essa ser a matéria constante há meses – alimenta esse moralismo típico dos fariseus modernos, que coam mosquitos e engolem camelos.

A reforma política proposta pela sociedade civil poderia pôr algum limite nesse poço sem fundo, mas Cunha assassinou a reforma política.

O que resta aos brasileiros de bom senso nesse momento – para além de todos os partidos – é salvar o fiapo de democracia que temos e não perder as conquistas sociais.

Mudanças estruturais profundas, mais uma vez, foram para as calendas gregas.

Cada preso é um cliente.

– O que se esconde por detrás da decisão da Câmara –

Roberto Malvezzi (Gogó)

00_Coluna_do_Gogo

O mercado criado em torno de presos e presídios movimenta muito mais grana que a imaginação popular possa ver. Só o mercado de quentinhas servidas aos 715 mil presos no Brasil (4º maior população carcerária do mundo) movimenta cerca de dois bilhões de reais ao ano.

Quando você vai conferir quais empresas fornecem essas quentinhas, muitas delas são de políticos ou de parentes deles, como é o caso dos Perrela em Minas Gerais. Além do mais, essas empresas também são financiadoras de campanhas eleitorais (Os mercadores das cadeias, Carta Capital).

Além do mais, 30 grandes presídios brasileiros estão privatizados. Nesse sentido, cada preso é um cliente. Portanto, presídios lotados são evidências de lucros, presídios vazios são sinais de prejuízos, como em qualquer hotel.

O detalhe é que cada preso em presídio privado é pago com o dinheiro público. A Pastoral Carcerária estimou em R$ 3.000,00 o custo de cada preso privado para o Estado.

Poderíamos investir esse dinheiro em escolas, mas preferimos investir em presídios.

Eduardo Cunha conseguiu reduzir a maioridade penal. Votaram com ele o PMDB, o PSDB, o DEM e outros partidos, gente da oposição e da tal “base aliada”. Sem dúvida, a indústria dos presídios está feliz com eles. Haverá mais clientes para suas empresas.

Não haverá nenhuma redução da violência no Brasil ao se reduzir a maioridade penal. Pelo contrário, vamos fortalecer as facções que dominam os presídios em todo o Brasil. Ali o preso não tem escolha, ou participa de alguma facção, ou ele e sua família estarão marcados para morrer.

Portanto, nessa votação há interesses econômicos e eleitoreiros, mas nenhum interesse na paz e na justiça. Teremos outras votações antes da decisão final, mas com tantas manobras talvez a razão tenha poucas chances.

Menores de 18 podem cometer crimes hediondos, sim. Mas, em casas de ressocialização muitos são recuperáveis. Nos presídios, nunca. Os congressistas sabem, mas por todos os motivos acima, preferem jogar os adolescentes na jaula dos leões.

Assim o Brasil vai se tornando cada vez mais uma sociedade policialesca, repressiva, mas não de paz. Como diziam os profetas da antiguidade, ou mesmo os da modernidade – como Gandhi, Luther King, Mandela e Papa Francisco -, a “paz é fruto da justiça”, não dos presídios e da repressão policial.

Paixão e morte de Amarildo (O DNA do Brasil sanguinário)

Roberto Malvezzi (Gogó)

00_Coluna_do_Gogo

A descrição do assassinado do pedreiro Amarildo, feita por representantes do Ministério Público no Jornal Nacional (22/06/2014) com tantos detalhes, me levou à comparação inevitável com Jesus na cruz pelas mãos das autoridades judaicas. Como não vi nenhuma reação a tanta perversidade, decidi reescrever sobre o assunto.

O fato de ser aprisionado, levado à UPP, sofrer torturas com sacos plásticos na cabeça, afogamentos e outras coisas que nem a representante do MP teve coragem de publicar, mostra um cenário de perversidades cabal por parte dos policiais.

Depois do crime, a ocultação do cadáver, com participação do BOPE, aquele mesmo de heróis como o Capitão Nascimento, consuma a cena.

Qual é mesmo o crime cometido por esse pedreiro? Dizem que ele ou a família ocultava alguma droga em sua pobre casa na favela e que não queria entregar o esquema, ou qualquer coisa assim, pouco importa. Por isso ele foi preso, torturado e morto.

Até hoje não sabemos exatamente de quem era o helicóptero preso com 450 kg de cocaína em Minas Gerais, muito menos quem era o dono da droga. Certamente, não era de alguém parecido com Amarildo, o pobre, o negro, o favelado.

Esse dias prenderam outro avião no Ceará, com 350 kg de cocaína. Até não sabemos de quem era o avião e muito menos de quem era a droga.

O Brasil não tem apenas um problema de segurança pública, mas o DNA de uma sociedade violenta, para parafrasear Barack Obama, quando dizia que os americanos do norte carregam o escravagismo em seu DNA. Não são apenas eles.

O Brasil é o país mais violento do mundo – mais do que aqueles que estão em guerra – com 50 mil assassinatos por ano. A grande maioria cometido por policiais. A grande maioria das vítimas tem a cara do Amarildo.

No campo ainda se mata trabalhadores rurais e indígenas como nos tempos dos bandeirantes. Basta conferir os relatórios da Pastoral da Terra e do CIMI.

A bancada da bala, junto com a da Bíblia e do boi, quer tornar – ou já tornou? – assassinato de policial um crime hediondo. Por que os crimes cometidos por policiais, como esse do Amarildo, também não são hediondos?

A sociedade brasileira é violenta e sanguinária. Porém, nos acostumamos a ela, como nos acostumamos ao fedor do Tietê e do Pinheiros, à destruição de nossas florestas e rios, à uma sociedade cujos 50% dos lares nem tem acesso à rede de esgoto.

Mas, não nos preocupemos. Vamos reduzir a maioridade penal e todos os problemas de violência da sociedade brasileira serão resolvidos. Pelo menos é o que acha a bancada BBB e 87% da população brasileira segundo o Data Folha.

“Louvado Seja”, Papa Francisco

Roberto Malvezzi (Gogó)

00_Coluna_do_Gogo

Papa Francisco  (Photo por Christopher Furlong/Getty Images)

Papa Francisco (Photo por Christopher Furlong/Getty Images)

A encíclica ecológica do Papa começa na dose mais vasta e profunda que poderia ter: “Nós somos terra. Todo nosso corpo é constituído de elementos do planeta, seu ar é aquele que nos dá a respiração e sua água vivifica e restaura” (Tradução pessoal do texto italiano, número 2).

Esse é ponto de partido exato de qualquer reflexão sobre a vida sobre a Terra. Do ponto de vista biológico, somos qualquer animal, parte da terra, dependentes dela e, sem água, sem comida, sem ar, sem um ambiente próprio para a vida, morremos como todos os outros animais.

Lembrando São Francisco, o Papa diz que a Terra é “mãe e irmã”. Portanto, toda a comunidade da vida só pode ser entendida nessa irmanação universal.

O Papa não esquece, desde o início da encíclica, de lembrar que a Terra está “oprimida e devastada” e, retomando Paulo em Romanos 8, reafirma que ela “geme em dores de parto”.

Retoma Paulo VI no número 5 e recorda que os avanços técnicos, científicos, se sozinhos, podem conduzir a Terra e a humanidade a uma catástrofe, se não forem acompanhados de um autêntico desenvolvimento “social e moral”. Portanto, retoma a questão ética colada à técnica.

E propõe como saída a mudança do estilo de vida, também no modo de produção e consumo. E retoma Bento XVI para reafirmar que o problema é “estrutural”.

Ainda como fundamento da reflexão, Francisco lembra que a destruição do ambiente está vinculada à uma cultura de morte, que agride também o ser humano. Essa realidade a Pastoral da Terra experimenta e reflete há anos: “aqueles que destroem as florestas e rios, são os mesmos que mataram Chico Mende e Irmã Dorothy”.

O Papa segue a partir daí com fatos já sobejamente conhecidos: consumismo, deflorestação, lixo, mudanças climáticas e todas suas causas e efeitos, etc., fazendo do planeta um “lugar de imundícies” (número 24).

Destaca a questão da água e da biodiversidade, inclusive da invisível, fundamental para os solos, plantas e reprodução da vida (número 34).

Francisco ainda chama a atenção que “o grito da Terra é o grito dos pobres” (49), realçando que a questão é socioambiental.

No número 41 o Papa toca o dedo na ferida, afirmando que a responsabilidade fundamental por essa crise vem do Norte, dos países desenvolvidos, que exploram os países do sul, inclusive transferindo para esses a produção suja, que não querem ter em seus próprios territórios. Aquilo que chamamos de “injustiças socioambientais”.

Na parte do “julgar” – não está com esse nome, mas o documento segue a lógica do Ver, Julgar e Agir – a ênfase será no texto bíblico do “cultivar e guardar” (Gen. 2,15), no Cristo Cósmico e na redenção da criação (Rom. 8).

No agir, assume praticamente todas as boas lutas socioambientais que fazemos – agroecológica, energia, transportes, preservação das florestas, cidades dignas do ser humano, mecanismos globais para controle do efeito estufa, mudanças climáticas, etc. -, portanto, nada de novo. Por fim, a necessidade de mudar o “modelo global de desenvolvimento”(194). Essa é a grande síntese.

Para nós, cristãos, aponta a necessidade de uma “Espiritualidade Ecológica” (Capítulo Sexto, 202). Implica a mudança do “estilo de vida”, “uma educação para o respeito ao ambiente”, que começa nas atitudes do cotidiano e se amplia para a globalidade, enfim, a “conversão ecológica” (216), que é alegre, contemplativa, cuidadora, sóbria, que gosta de arte, de música, celebrações (inclusive eucaristia), enfim, sem o consumismo crasso da sociedade contemporânea.

O texto conclui com uma bela oração sobre a criação.

O novo desse texto para nós, aqueles que fazemos esse caminho há tantas décadas, é que agora nos vejamos plenamente contemplados num documento oficial do Vaticano.

Que o documento produza os frutos semeados.

Sem dúvida, sinal dos tempos.

Último treino da Seleção de Remanso para a grande final

Último treino - Final do Campeonato Regional

Nesta sexta-feira, 05/06, a Seleção de Remanso fez o seu último treino para o jogo da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu, no Piauí. A final será disputada contra a Seleção de Várzea Branca-PI.

O treino foi apenas um recreativo para relaxamento muscular e no final da manhã vários atletas treinaram pênaltis, que será necessário, caso a jogo termine empatado.

Vejam algumas fotos:

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Treino recreativo na véspera da grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu 2015.

Seleção de Remanso está pronta para a grande final

IMG_8465

Ontem, 04/06, feriado de Corpus Christi, a seleção de Remanso não teve refresco e treinou duro para a grande final do Campeonato Regional de Anísio de Abreu, no Piauí. Pela manhã o time fez um coletivo e à tarde houve apenas um treino recreativo leve, com treinamento de cobranças de pênaltis no final da tarde.

Hércules, treinador da Seleção de Remanso.

Hércules, treinador da Seleção de Remanso.

Em entrevista para o Blog o treinador Hércules falou que a seleção está preparada para o grande embate contra a seleção de Várzea Branca-PI. Na preleção antes do treino o “professor” falou da grande campanha que o time fez durante todo o campeonato, sendo a única equipe invicta até agora, e da expectativa que a torcida remansense vive em função deste grande jogo. “Não se fala outra coisa em Remanso e nós contamos com a participação de todos os torcedores, que será de grande importância para a nossa cidade”.

O diretor de esportes Wilton Bacelar, o “Bêga”, disse que “a equipe está preparada física e tecnicamente para este jogo”. “Vamos levar pelo menos cinco ônibus com torcedores, além de muitos carros particulares, que já estão prontos para viajar e acompanhar a nossa seleção na decisão em Anísio de Abreu”.

O treino desta quinta ainda teve um notícia motivadora para três atletas da seleção, Panga, Coran e Lucílio, que foram convidados pela equipe do Serrano (da Bahia) para disputar o Campeonato Brasileiro da série D. O treinador Hércules falou sobre este convite: “Eu sempre falo para os atletas que havendo esforço e dedicação sempre vem a coroação do trabalho com convites como este”. Perguntado sobre a decisão dos atletas em relação aos convites ele respondeu: “No momento estamos concentrados na decisão do próximo sábado e somente depois desse jogo voltaremos a falar sobre o assunto”.

Coran, atleta da seleção de futebol remansense.

Coran, atleta da seleção de futebol remansense.

Lucílio, atleta da seleção remansense de futebol.

Lucílio, atleta da seleção remansense de futebol.

Panga, atleta da seleção remansense de futebol.

Panga, atleta da seleção remansense de futebol.

A novidade no treino foram os atletas Brian, Buiú e Darwin que apareceram de cabelos descoloridos. “Foi uma promessa que fizemos ainda no mês de abril que se a gente chegasse na final íamos descolorir os cabelos”, disse Buiú.

Darwin, Buiú e Brian: promessa para descolorir o cabelo na final.

Darwin, Buiú e Brian: promessa para descolorir o cabelo na final.

Vejam as entrevistas de Hércules, Brian, Darwin, Buiú e Bêga: