Da Ditadura Civil para a Militar

00_Coluna_do_Gogo

Roberto Malvezzi (Gogó)

Antes do golpe de 2016 sobre a maioria do povo brasileiro trabalhador ou excluído, já comentávamos em Brasília, num grupo de assessores, sobre a possibilidade de uma nova ditadura no Brasil. E nos ficava claro que ela poderia ser simplesmente uma “ditadura civil”, sem necessariamente ser militar. Entretanto, como em 1964, ela poderia evoluir para uma ditadura militar. Naquele momento pouquíssimos acreditavam que o governo poderia ser derrubado.

Já escrevi sobre esse assunto antes do golpe de 2016, mas agora o assunto se atualizou.

Para mim não há dúvida alguma que estamos em plena ditadura civil. É um grupo de 350 deputados, 60 senadores, 11 ministros do Supremo, algumas entidades empresariais e as famílias donas da mídia tradicional que impuseram uma ditadura sobre o povo. As instituições funcionam, como dizem eles, mas contra o povo e apenas em favor de uma reduzidíssima classe de privilegiados brasileiros. Claro, sempre conectados com as transnacionais e poderes econômicos que dominam o mundo.

Portanto, nós, o povo, fomos postos de fora. Tudo é decidido por um grupo de pessoas que, se contadas nos dedos, não devem atingir mil no comando, com um grupo um pouco maior participando indiretamente.

Acontece que o golpe não fecha, não se conclui, porque a corrupção, velha fórmula para aplicar golpes nesse país, hoje é visível graças a uma mídia alternativa presente e cada vez mais poderosa. E a corrupção está em todos os níveis da sociedade brasileira, sobretudo nos hipócritas que levantaram essa bandeira para impor seus interesses.

Mas, a corrupção é apenas o pretexto. Segundo a visão de Leonardo Boff, o objetivo do golpe é reduzir o Brasil para 120 milhões de brasileiros. Os 100 milhões restantes vão ter que buscar sobreviver de bicos, esmolas e participação em gangs, quadrilhas e tráfico de armas e drogas.

Então, começam aparecer sinais do verdadeiro pensamento de quem está no comando, uma reunião da Maçonaria, um general falando a verdade do que vai nos bastidores, a velha mídia com a opinião de “especialistas”, nas mídias sociais os saudosos da antiga ditadura dizendo que “quem não é corrupto não precisa ter medo dos militares”.

Enfim, estão plantando a possibilidade da ditadura militar. Para o pequeno grupo que deu o golpe ela é excelente, a melhor das saídas. Nunca foram democráticos. Não gostam do povo. Inclusive nessa Câmara e nesse Senado, poucos vão perder seus cargos ou ir para a cadeia.

O pior de uma ditadura civil ou militar é sempre para o povo. As novas gerações não conhecem a crueldade de uma ditadura total.

É de gelar a alma o silêncio da sociedade diante das declarações do referido general.

Anúncios

Doze piadas de 2016 e seus humoristas

00_Coluna_do_Gogo

Roberto Malvezzi (Gogó)

  1. Golpista presidente (Narrada por Michel)
  2. Não foi golpe (Aécio, Serra e FHC)
  3. O Brasil já melhorou muito (Cristovam Buarque sobre governo Golpista)
  4. Por minha família, minha pátria, minha conta na Suíça, medo da Lava-Jato, voto sim (360 picaretas da Câmara dos Deputados e mais 61 Incitatus do Senado)
  5. PowerPoint do Dallagnol  (Por ele mesmo)
  6. Pedalinho do Lula ou da Marisa (Jornal Nacional)
  7. Palestra sobre ética no farisaísmo bíblico (Sérgio Moro, cachê de 90 mil reais)
  8. Imparcialidade da Mídia Corporativa (Famílias Marinho, Frias, Mesquita e Civita)
  9. Derrubamos o PT e acabaremos com a corrupção, os impostos e o desgoverno (Paulo Skaf, Paulinho da Força e manifestantes de verde e amarelo da Paulista e Copacabana)
  10. Autocrítica do PT (Direção Nacional)
  11. Supremo Tribunal Federal (Por Gilmar Mendes)
  12. Os brasileiros vão se aposentar no túmulo (Eu)

Jamais seremos os mesmos.

00_Coluna_do_Gogo

Roberto Malvezzi (Gogó)

Escrevo para mim mesmo e alguns milhões que comungam a mesma impotência – pelo menos por hora – perante o golpe impetrado no Brasil e seus desdobramentos.

Não tivemos chance de defesa. Falo dos 54 milhões de brasileiros que tiveram seus votos sequestrados por trezentos e poucos calhordas da Câmara e depois 60 senadores. Agora, todas as mudanças constitucionais que vão sendo operadas de costas para o povo.

Não se trata de defender os erros e até crimes do PT ou de petistas. Mas, também não se trata de cegar para a fantástica hipocrisia nacional, cabalmente demonstrada no avanço das investigações sobre outros partidos.

Agora já se questiona o resultado do golpe. A recessão econômica projetada no governo Dilma era de 3,5% do PIB. Com Golpista está projetada em 7%. A indústria caiu, o agronegócio também e o desemprego saltou de 10 milhões com Dilma para 12 com Golpista. Portanto, aquela promessa mágica que o golpe prometia não se realizou. Agora, até Fernando Henrique já fala em eleições diretas para dar alguma credibilidade a quem vai enfrentar o abismo que nos lançaram.

A fratura social do Brasil cravou na alma e vai durar muitas gerações. Vamos continuar nos cuspindo, nos enfrentando em manifestações de rua, restaurantes, nos ofendendo nas redes sociais, alimentando discriminações étnicas, sexistas, classistas, regionais e todas de outros naipes. Talvez nunca tenhamos sido uma nação, mas um aglomerado de pessoas que ocupam o mesmo território (Leonardo Attuch)

Quem tem fome e sede de justiça não pode aceitar um ajuste fiscal e econômico às custas da subtração de direitos e da miséria do povo.  A verdadeira reconciliação só se dá em cima da justiça e um passo a mais na misericórdia, que pressupõe a justiça. E o golpe está aprofundando todas as injustiças históricas do país. O ajuste não é apenas impopular, como diz a grande mídia, mas anti-humano.

Não se trata de nos alimentarmos de ódio. Ele paralisa e mata. Mas, da contínua indignação perante as injustiças estruturais e estruturantes que são impostas secularmente às vítimas de nossa história. A distância entre o ódio e a indignação é um piscar de olhos.

Jamais seremos os mesmos. Essa é a frase que mais ouvi nos últimos tempos, de pessoas tão diferentes, que nem se conhecem. Ou nos reconciliamos na justiça, ou jamais nos reconciliaremos.

Praça lotada no segundo dia de Novena de Nossa Senhora do Rosário

img_6849

Nesta terça-feira, 22/10, segundo dia do novenário de Nossa Senhora do Rosário, a praça Manoel Firmo Ribeiro ficou lotada de fieis para acompanhar o Padre Guilherme Mayer, pároco da Paróquia Santo Antônio, de Pilão Arcado, na discussão do sub-tema “Sem saneamento básico, ‘nossa casa comum’ deixa de ser um bom lugar para viver”.

img_6900

Ação de Graça, hora das belas encenações durante a Novena.

Todas as noites a participação da comunidade é fundamental para o bom andamento da novena. Sempre tem alguma novidade durante a celebração, com várias encenações ligadas à temática do novenário. A hora da Ação de Graça é um dos momentos mais esperados, devido às surpresas que os noiteiros sempre trazem para este momento.

Os noiteiros deste sábado foram: Pastoral da Criança, Pastoral da Pessoa Idosa, Pastoral Carcerária, Profissionais da Saúde, Grupo AA, CAPS, Vicentinos e Quadras 07 e 10.

As fotos de que destaco para hoje (as outras estou postando no meu Facebook:

img_6948img_6944img_6938img_6931img_6919

img_6978img_6975img_6973img_6968img_6948img_6944img_6938img_6931img_6919img_6911img_6908img_6907img_6887img_6877img_6865img_6856img_6853img_6845img_6828img_6826img_6822img_6815img_6808img_6804img_6799img_6797img_6792img_6788img_6787img_6783img_6782

img_6785

Começa o Novenário de Nossa Senhora do Rosário, em Remanso-BA

img_6603

Ontem, 21/10, começou o novenário de Nossa Senhora do Rosário, em Remanso, Bahia. Com o tema “Iluminados pela palavra de Deus, cuidemos da ‘Nossa casa comum'”, os devotos de Nossa Senhora do Rosário estarão em festa até o próximo dia 30, quando encerra-se a festa da Padroeira com a procissão pelas ruas da cidade.

img_6591

O tema de ontem foi “Casa comum, nossa responsabilidade”. O celebrante da noite foi o padre Isael Brito, da Paróquia Catedral Diocesana Nossa Senhora das Grotas, de Juazeiro. Noiteiros: Legionários(as), Rosário Permanente, Carismáticos, Minstros(as) da Eucaristia, Terço dos Homens e Quadras 09, 11, 13 e BNH.

A primeira noite já contou com a presença de muita gente e a tendência e aumentar a participação à media em que os dias vão passando.

Quem quiser acompanhar o novenário ao vivo é só seguir um dos sites listados a seguir (vídeo e rádio):

http://www.zabelefm.com.br

http://www.remansonoticias.com.br

http://www.remanso.net

Vejam mais algumas fotos:

img_6780img_6779img_6775img_6771img_6770img_6768img_6758img_6748img_6747img_6737img_6736img_6733img_6694img_6693img_6688img_6669img_6639img_6627img_6612img_6611img_6601img_6595img_6592img_6580

Com gol de Brenner Remanso vence Santaluz por 1 a 0

Remanso 1 x 0 Santaluz

No último domingo (16/10) a seleção de Remanso venceu a seleção de Santaluz pelo placar de 1 a 0, jogo válido pela terceira fase do Intermunicipal Baiano de 2016, realizado no Estádio Municipal Walter Dias Ribeiro, em Remanso.

O Jogo

As duas seleções invictas fizeram um jogo difícil, com os luzenses catimbando bastante. A primeira etapa teve alguns lances perigosos, tendo como principal lance o gol perdido pelo meia atacante Rodrigo (11) aos 13 minutos. Os remansenses, como era de se esperar, procuravam mais o gol, enquanto os luzenses demonstravam que o empate já seria bastante para as suas pretensões.

A segunda etapa começou já com a expulsão do centroavante Marcelo Muritiba aos dois minutos. Somente aos 29 minutos saiu o único gol da partida, marcado por Brenner, após a cobrança de escanteio feita pelo lateral esquerdo Marcelo. Ambos haviam entrado no decorrer da partida. No finalzinho do jogo a seleção luzense passou a pressionar os remansenses, mas não conseguiu chegar ao empate. Já nos acréscimos da partida o técnico Beto Oliveira foi expulso e, junto com Marcelo Muritiba, serão as principais baixas para o jogo de volta no próximo domingo (23/10) no estádio Milton Góes, em Santaluz. Após o encerramento da partida o atleta Murro Pinho Santos, camisa número 04, recebeu cartão vermelho. Achei estranho o nome, mas é assim que está anotado na súmula.

Com o resultado desta partida a seleção de Remanso joga pelo empate para passar para a próxima fase. Santaluz precisa de uma vitória por mais de um gol de diferença para seguir em frente. Uma vitória dos luzenses por apenas um gol de diferença leva a decisão para os pênaltis.

Os atletas e comissão técnica da seleção de Santaluz reclamaram muito após o final da partida. Por pouco não se formou uma grande confusão já na entrada dos vestiários.

Remanso 1 x 0 Santaluz

REMANSO

Valtinho, Diego, Alex Buzina, Daniel, Max, Leo, Diê, Giorjan “Colômbia”, Henrique, Mamá e Rodrigo. Suplentes: Robinho, Marcelo, Edijan, Elio, Jailson, Roge, Brenner, Gú, Panga, Tiago e Dedeco.

Remanso 1 x 0 Santaluz

SANTALUZ

Whallison, Samuel, André, Marcos, João, Valdemir, Marcelo Bispo, Romário Gravatá, Marcelo Muritiba, R(???), Nivaldo, Edson, M(???), Rodrigo, Jadson, André, Fábio, Welington e Fredson.

Remanso 1 x 0 Santaluz

 

ARBITRAGEM

Árbitro: Carlos Roberto dos Santos (FBF/Senhor do Bonfim); Assistente 01: Hilton Carlos dos Santos (FBF/Senhor do Bonfim); Assistente 02: André Batista dos Santos (FBF/Senhor do Bonfim); 4º Árbitro: Jucimar Barbosa da Silva (FBF/Remanso)

Mais fotos:

Remanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 SantaluzRemanso 1 x 0 Santaluz

Os Xerente e Michel Temer

00_Coluna_do_Gogo

xerentes_e_temer

Roberto Malvezzi (Gogó)

É interessante perceber, dar ouvidos, a outros tipos de sociedade. O Xerente Romário – não me falou seu nome indígena -, um jovem índio que estava no encontro de formação da Rede Eclesial Panamazônica (REPAM), em Miracema, me dizia:

“A gente não tem espírito de acumulação. O Tocantins dava peixe prá gente. Não ia pescar, ia buscar os peixes. Agora está diferente. Nosso território não garante nossa alimentação. Temos que comprar em supermercado”.

Numa longa conversa fomos conferindo as diferenças civilizacionais entre nós brancos e os Xerente.

A sociedade deles não tem Estado. Portanto, não tem os poderes judiciário, legislativo e executivo.

Não tem propriedade privada. A terra, a água e os bens da natureza são de todos. Como não há propriedade privada, não há classes sociais, patrões e empregados, proprietários dos meios de produção e trabalhadores, muito menos desempregados.

A sociedade deles não tem bandidos. Portanto, não tem polícia. Portanto, não tem população carcerária e presídios.

Como não tem Estado, não tem arrecadação de impostos.

Eles não têm cidades. Moram em pequenas aldeias espalhadas pelos territórios, integradas à natureza. Ainda mais: “é uma estratégia para defender nosso território”.

Poderíamos ir longe nessa comparação. Marx simplesmente chamava essas sociedades de pré-capitalistas. Os capitalistas as chamam de atrasadas e entraves para o desenvolvimento.

Na verdade, elas continuam aí bem em baixo de nosso nariz e rejeitam nosso modo “branco” de viver. Estudos recentes indicam que esses “atrasados e pré-capitalistas” nos garantiram em seus territórios o pouco que nos resta de florestas, portanto água, portanto regulação do clima, portanto de biodiversidade.

Não acho que um dia a humanidade toda viverá novamente como os Xerente. Há o mundo das tecnologias, da ciência e dos poderes. Como dizia Hanna Arendt em sua obra A Condição Humana, “a humanidade não ficará confinada na Terra”. Não vai demorar muito para começarmos a colonização de outros planetas e luas do sistema solar.

Mas, em tempos de Temer Golpista, com sua PEC 241, é fantástico ver outras sociedades, em tudo diferentes de nós e muito mais humanas que a nossa.

 

Remanso bate Morro do Chapéu por 2 a 1 e se classifica em primeiro lugar no Grupo 1 do Intermunicipal 2016

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

No último domingo, 25/09, a Seleção de Remanso venceu a seleção de Morro do Chapéu pelo placar de 2 a 1 e se classificou em primeiro lugar no Grupo 1 do Campeonato Intermunicipal Baiano de 2016. Com esta vitória a seleção de Remanso confirma a sua posição de destaque na competição e termina a primeira fase como quarta colocada no geral (ver tabela abaixo).

O Jogo

O primeiro tempo do jogo foi dominado pela seleção de Morro do Chapéu que partiu para cima de Remanso e conseguiu marcar um gol que foi anulado pela arbitragem por o atacante estar em impedimento. Aos 25 minutos o atacante Tatá (11) aproveitou a sobra de bola após jogada do atacante João (9) e marcou o primeiro gol da partida. A primeira etapa terminou 1 a 0 para Morro do Chapéu.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Gol de Morro do Chapéu, Tatá (11) – Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

No segundo tempo a seleção de Remanso melhorou bastante e passou a dominar o jogo com o apoio da torcida e chegou ao empate aos 34 minutos. Numa cobrança de falta o atacante Brenner (21), que acabara de entrar na partida, marcou de cabeça. Os remansenses viraram o jogo apenas dois minutos após o primeiro gol. Com um chute certeiro da intermediária, o outro atacante, Gú (19), que também acabara de entrar, marcou um golaço selando a vitória de Remanso.

img_06

Primeiro gol de Remanso, Brenner (21).

Uma coisa que me chamou a atenção: NENHUM CARTÃO aplicado no jogo, que foi muito bem conduzido pelo árbitro bonfinense Carlos Roberto dos Santos, apesar da reclamação pelo gol de Morro do Chapéu anulado ainda no primeiro tempo, mas que foi bem anulado pelo bandeirinha, porque o atacante estava voltando em impedimento.

Na próxima etapa de mata-mata Remanso vai enfrentar a seleção de Tanquinho, jogo que acontecerá no próximo sábado, 01/10, na cidade de Tanquinho.

Súmula:

Remanso 2 x 1 Morro do Chapéu

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Seleção de Remanso: Valtinho, Diego, Alex Buzina, Daniel, Max, Léo, Die, Bita, Henrique, Mamá e Rodrigo. Reservas: Robinho, Marcelo, Edijan, Elio, Jaílson, Roge, Brenner, Gu, Dedeco, Tiago e Colômbia.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Seleção de Morro do Chapéu: Biano, Cleriston, Dany, Davi, Formiga, Gel, Geo, Goiano, Ítalo, Jader, João, Júnior, Leuzinho, Mar, Marcel, Marco, Paulo, Samuel, Tatá, Testa, Teus, Tourão e Zenga.

Gols: Morro do Chapeu: Tatá (11); Remanso: Brenner (21) e Gú (19).

Arbitragem: Árbitro: Carlos Roberto dos Santos (FBF/Senhor do Bonfim); Assistente 01: Hilton Carlos dos Santos (FBF/Senhor do Bonfim); Assistente 02: João Batista Silva (FBF/Juazeiro); 4º Árbitro: Francisco Francelino Almeida (FBF/Remanso), de acordo com escalação da FBF.

Quem quiser ver/rever o jogo completo é só entrar no link da TV Chapada no Youtube:

Classificação no Grupo 01:

class-1

Classificação Geral da primeira fase:

classificacao

 

Falta de Mamá:

Entrevista de Gú:

Entrevista de Janílson:

Mais fotos:

img_2069img_1992img_1849

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Remanso 2 x 1 Mundo Novo

Jogo pelo Campeonato Intermunicipal Baiano 2016, vencido pela Seleção de Remanso pelo placar de 2 a 1.

Suprimir o pensamento e os pensadores.

00_Coluna_do_Gogo

mendonca_filho

O primeiro dia que nosso grupo entrou na sala de aula de filosofia, o professor já estava sentado à mesa na posição do “O Pensador”, de Rodin. Enquanto o último aluno não entrou na sala, ele não ergueu a cabeça. Depois, filosoficamente, lançou um olhar geral sobre a turma e afirmou: “quem acha que vai ganhar a vida fazendo filosofia é melhor sair da sala e entrar na turma ao lado”.

Não sei qual era o curso ao lado. Ganhei a vida dignamente com o curso de filosofia porque ele me deu a capacidade de interpretar a sociedade, suas narrativas e as intenções que estão subjacentes a todos os discursos. Depois ainda fiz Teologia e Estudos Sociais.

Mais tarde tive que aprender que existem outras narrativas do mundo, como as cosmovisões indígenas, africanas e de outras religiões. Mesmo aqui a filosofia me ajudou a respeitar as outras visões de mundo.

O que distingue o ser humano dos demais seres é sua capacidade de pensar. Simone Beauvoir – ou Sartre? – tinha uma afirmação sobre a morte que eu nunca mais esqueci. Em outras palavras ela dizia que “aquilo que os vegetais apenas vivem, os animais vivem e sentem, o ser humano vive, sente e pensa”. Ela falava da angústia humana diante de seu destino inexorável, derivada da capacidade de pensar a fatalidade.

Todas as ditaduras, inclusive a eclesial na Idade Média, quiseram abolir os livros e a diversidade de pensamentos. Passando pelas fogueiras de livros de Hitler, esse propósito foi feito até mesmo por homens considerados sumidades de inteligência, como Ruy Barbosa, que mandou queimar os arquivos que registravam a escravidão no Brasil. A intenção era apagar a infâmia dessa página histórica, o resultado foi a destruição de grande parte dessa memória.

O atual presidente da República e seu ministro da educação querem suprimir a história, a filosofia e a sociologia do ensino médio. Há também a proposta do “pensamento único”, chamado eufemisticamente de “escola sem partido”. Bastam essas intenções para dar a medida dos atuais dirigentes do Brasil.

Alguém precisa lembrar a eles que a Igreja Medieval, Hitler e Ruy Barbosa fracassaram. Pensar é uma faculdade inerente ao ser humano, não uma concessão dos donos do poder.

OBS: Segue texto que corre na internet atribuído ao atual Ministro da Educação. Se verdadeiro ou falso – o absurdo perdeu limites – é secundário, mas sintetiza a proposta: “É uma questão de coerência extirpar o ensino de história das escolas. Nosso slogan é ‘ordem e progresso’ e temos que olhar para frente! Aprendi mais história lendo a Turma da Mônica do que nos livros e com professores petistas! Filosofia e sociologia ninguém entende nada, é inútil e um zoológico de professores excêntricos”. Mendonça Filho, Ministro da Educação

O que Temer

00_Coluna_do_Gogo

Roberto Malvezzi (Gogó) e Letícia Sabatella

O Golpe se consuma.

E a herança mais amaldiçoada que o governo com Dilma deixará para o povo brasileiro é exatamente seu sucessor, Michel Temer.

Recuaremos duzentos anos na história. Um governo de homens pálidos, hipócritas, ricos e obsoletos.

É a volta ao Império, à política do café-com-leite, governo dos paulistas da Paulista com alguns capachos espalhados pelo Brasil. O pior é para o povo. O congelamento dos investimentos em saúde, educação e saneamento por vinte anos vai gestar uma geração de analfabetos, de insalubridade permanente e até de cadáveres pelas portas de hospitais. Nenhum serviço público de qualidade sobreviverá com esta política.

Se com Dilma no governo o futuro dos bens naturais do país, das nossas tribos indígenas, quilombolas, já era preocupante, com Temer não há mais sombras, é tenebroso: é para devastar, saquear e entregar.

Eles riem e podem rir. O povo está sendo inundado de informações falsas ou duvidosas e alijado das decisões. Essas decisões foram articuladas dentro dos conchavos e ligações do Congresso, referendadas pela conivência do judiciário e divulgadas pela mídia corporativa. Esse sentimento de impotência e irrelevância do voto se abateu sobre grande parte do povo brasileiro.

Não esperem que esses políticos golpistas temam pela história, porque eles não têm história. Não esperem que eles temam por suas biografias, porque eles não têm biografia. Não esperem que se sintam envergonhados, porque não se tira a vergonha de onde ela não existe. Existe o poder e eles estão no poder.

A ignorância toma o poder de salto alto, sem argumentos legítimos e a arrogância é seu veículo de disseminação.

Mas, a melhor herança de Dilma também ficará. A dignidade tem um rosto e um nome neste país. Sua coragem, convicção e a observação ampla de que somente o povo e o voto popular podem consertar as injustiças deste processo fraudado, são marcas deste momento. O enfrentamento de tanto ódio fomentado por distorções e manipulações, com garra e crescimento pessoal, é exemplar para muitas gerações futuras. Não vamos nos suicidar, nem renunciar ao que é justo, nem fugir da luta.

O resto só a história dirá.